terça-feira, maio 10, 2011

Na coletiva de "Mulher de Fases"

Flor bela?

Florbela Espanca:
..."Os sinos têm dobres de agonias
Ao gemer, comovidos, o seu mal…
E todos têm sons de funeral
Ao bater horas, no correr dos dias…"

Bowie. Versão inusitada. Amo mais ainda

quinta-feira, março 10, 2011

Diversão em um minuto

Da série - paisagens (nem sempre) da cidade 12 - em algum lugar nos mares do sul

Maristela sabe que o horizonte me distrai, sempre.
Então, me presenteou com essa foto maravilhosa:

Uma das primeiras frases de "Morangos Silvestres" é a seguinte:

"Nossa relação com as pessoas consiste em discutir com elas e criticá-las."
Mestre!

segunda-feira, março 07, 2011

quinta-feira, março 03, 2011

Mulher de Fases

Essa série só me trouxe presentes, como todo mundo sabe.
O mais novo, foi ter sido convidada pra gravar um especial, apresentando "Os Segredos de Graça", com direito a uma grande cereja no bolo: trabalhar com a Patola e PC.
Labuta, diversão e amizade, tudo junto e misturado.




Gentileza

Aconteceu de novo. Duas vezes no mesmo dia.
PRIMEIRA
Chovia. Eu estava desesperada na rua, tentando pegar táxi no berro, quando ouço:
- "Ei, psiu! Moça! Ô, moça!"
- Quem? Eu?
- Sim. Pra onde vc vai?
- Eu? Pra Pompeia, por que?
- Olha, meu galpão é lá na Vespasiano. Quer uma carona?
- Não. Imagina. Obrigada.
- Que é isso, moça. Tá desconfiando de mim?
- Não, é que...
- Então pare de tomar chuva e vamos.
- Bom, ok. Já que é assim, eu aceito.
E lá fui eu, ao lado do gentil Eli, em seu caminhão Baú, na minha primeira carona do dia.

SEGUNDA
Corta para um pouco mais tarde, saindo da terapia, depois de ligar pra 515 pontos de táxi, na rua, na chuva, e naaaaaada.
Qdo, de repente, para um taxista pra deixar uma passageira.
- Oi, o senhor tá livre?
- Não. Estou indo pegar uma corrida. Pra onde a senhora vai?
- Pra Pompéia.
- Olha, vou passar na Apinagés com a Alfonso Bovero. Lá tem um ponto bom de táxi e é mais perto. Sobe aí que eu te levo até lá.
E lá fui eu, pela segunda vez no dia, pegar outra carona.

Sim, a gentileza ainda existe. Obrigada por saber recebê-la de bom grado.

E/Ou... é assim... todo mundo dá uma passadinha pela Pompeia.

terça-feira, março 01, 2011

...Cinco, seis, sete, oito....

Eu ainda sou louca por arroz com feijão.
Não troco um churrasco por nada.
Choro ouvindo música. Choro no cinema. E sonho com o cinema.
Não fico sem Cartola e outros bons sambistas e sambas.
Participo de rodas de violão... e gosto...
Sou viciada em Coca Zero e Tridente azul claro.
Gosto de bilhete escrito à mão,
etc, etc e etc...
Pensei que meu gosto fosse imutável. Que bom que não é. E que bom que posso acrescentar novas experiências aos meus antigos prazeres. Então, apresento meu mais novo amor:
O Ballet.
Sim, convidei a Fefet pra ir a uma aula comigo e ela, claro, aceitou. Agora, somos alunas numa academia de dança bem anos 80.
Para as pessoas que olham, devo ser o Didi Mocó bailarino. Mas quando me olho no espelho, sinto-me a primeira bailarina de qualquer bom ballet do mundo.
E sigo assim:, exercitando minha delicadeza a cada plié.

PS - Por falar em anos 80, claro que também nos matriculamos no jazz. Quem sabe dessa vez, o sonho Flashdance acontece na apresentação de final de ano.

terça-feira, fevereiro 15, 2011

Acredite se quiser

Como diz a Patola, vou "ticar" mais um ítem da minha lista de afazeres mundanos:
DESFILAR EM CIMA DE UM CARRO ALEGÓRICO, COMO CONVIDADA, (graças a um amigo), LEVANDO OUTROS AMIGOS COMIGO, E, O MAIS LEGAL: NO CARRO ABRE ALAS!
Tô adorando. Senti uma vibe tão boa na avenida, domingo passado (é.... carro abre alas tem ensaio!), que tive certeza do quão me fará bem essa empreitada.
E que os deuses do samba nos abençõe.

Mais uma locução. Essa é bem antiga.

Herta Müller disse:

"Onde a pele dos meus joelhos tinha se esfolado, a carne ardia e tive medo de não estar mais viva de tanta dor, e ao mesmo tempo sabia que estava viva, porque ainda estava doendo. Tive medo que a morte entrasse em mim pelos joelhos abertos, e rapidamente coloquei as palmas das mãos sobre os ferimentos.
E, como eu ainda estava viva, veio o ódo".

Locução "Caras" pela Plug In

video

terça-feira, fevereiro 01, 2011

Uma pérola

E não é que minha mãe começa a zapear a TV e resolve parar pra assistir a um filme?
E qual filme?
"X Men"... só que o último.
Ela já tinha visto algum antes? Sabia o que que era um mutante? Conhecia algo da história?
Claaaaro que não... então fui explicando por alto, falando dos personagens... Coisas básicas.
Acaba o filme, ela fala:
"Adorei os mutantes, mas quem salvou todo mundo foi o Venturini, né? O das garras de aço".
Sim... ela quis dizer Wolverine.
Adoro a despretensão.
Vou dormir feliz de tanto rir.
Obrigada, Alina.

segunda-feira, janeiro 31, 2011

Alejandro González Iñárritu

Eis o meu diálogo com Iñarritu, sobre o filme "Biutiful":
- Hola, chica... gostou do filme? (na minha imaginação, ele fala português e somos amigos)
- Olha, Iñarritu, por favor, chico : Me lembre de não assistir a mais nenhum filme seu, a não ser que eu queira me matar depois!

Meu Deus do céu! Onde esse homem acha tanta tristeza e desgraça sem ser piegas? Não há trégua, tudo piora, sempre.
E vc entra na história, sofre, chora, se descabela e não entende como alguém vive daquela maneira. Só que você sabe que muiiiiita gente tem aquela vida. E, naquele momento, de frente pra tela grande, vc é cada um dos personagens. Que por mais horripilante que pareça, aquilo é a verdade gelada como ela deve ser. Quase sem cores.

Meu Deus do céu, de novo! O que é o Javier Bardem?
De verdade em cada respiro do filme, ele é, sim aquele pai. Ele tem aquela família. E não precisaria de uma palavra... Ele conta tudo com suas emoções, seu olhar, sua respiração. Ai... que dor!
Não consigo parar de pensar. Nem queria ter escrito, porque o filme tá aqui dentro de mim e não sai nem pra fazer xixi.
Porque o dia foi árduo, porque é difícil se soltar. É impossível fazer certo, mesmo querendo muito.

- Iñarritu, não faça mais isso, tá?

Ps - ele dedicou o filme ao pai!

Um grau de separação

Bom, já que o BOM velhinho, (o Antunes, claro) nega o nosso grande laço afetivo e artístico, decidi tomar outros ares, mas permanecendo perto de sua história de algum jeito.
Conheci, através de um amigo a Cia Noir, um espaço teatral incrível, que fica ali na Augusta, 331, onde Juliana Galdino e seu marido abrem, a cada semestre, acho, a "Paralela Noir" - uma espécie de curso, workshop, aula, estudo... Enfim.
Entrei no site, mandei meu CV, e... fui selecionada! eeeee
Começo dia 14 de fevereiro, animada em apanhar feito a mais feliz das masoquistas.

sexta-feira, janeiro 28, 2011

A frase do dia é essa:

Daqueles que se julgam acima do bem e do mal, eu não digo nada, pois eles vivem num universo chamado "irrealidade". O que me amedronta são as pessoas que tem certeza que estão acima do mal!

quinta-feira, janeiro 27, 2011

Caminho da roça

A frase do dia diz mais ou menos assim:

"Olhando aquela claridade que vinha dos seus olhos, não eram vinte e poucos anos que eu via - era a eternidade."

quarta-feira, janeiro 26, 2011

GOSTARIA DE AGRADECER...

A todos que fazem parte da minha vida e a tornam mais delicada, mesmo sem saber.

Mais uma pra coleção

Sério. Eu adoro me viciar em séries. Friends, Heroes, True Blood, Gilmore Girls, Grey's Anatomy, LOST, In Treatment e tantas outras. A do momento é "The Big C", com Laura Linney. Incrível. Choro e riso na mesma intensidade. Identificação total. Vale a pena arrumar uma horinha no dia ou na semana pra assistir.

sexta-feira, janeiro 21, 2011

Do uso à exaustão

Orgânico é a palavra (conceito / escolha, ou o caralho a quatro), banalizada da vez.
Tudo, absolutamente tudo, leva o adjetivo "orgâââânico", como se a palavra tivesse um selo de qualidade, um ISO qualquer número.
Nos restaurantes, não bastam mais as folhas e legumes orgânicos... Chegaram as ervas orgânicas, o sorvete de baunilha orgânico, o frango orgânico, a carne orgânica, o arroz orgânico. Tudo repetido assim mesmo, pra ninguém esquecer.
E não é só na gastronomia que o ORGÂNICO trabalha (e duro, coitado): no teatro, cinema e tv, por exemplo, a interpretação tem de ser orgânica pra ser real. Isso não é diferente na música, nas artes plásticas, etc, etc...
Agora pense nos relacionamentos? Até isso tem de levar o peso qualitativo do orgânico.
Mas o cúmulo é falar que o corte de cabelo agora também é orgânico e a tinta italiana que o fulano passou pra tirar os brancos da cabeça da sicrana, também é orgânica.

Nada contra o orgânico. Mas, poxa... O orgânico virou o novo tomate seco.

Eu fico feliz...

...quando as pessoas vão atrás dos seus projetos. Dos seus grandes sonhos.

quinta-feira, janeiro 20, 2011

Enquanto isso, na academia....

... o professor, animadíssimo fala, ou melhor, grita: "vamu lá! projeto praia com biquini branco, meninas".
Nessa hora, a mulher do meu lado resmunga: "comigo, só se for projeto Nosso Lar - numa outra vida"
Quis ficar amiga dela na hora.

quarta-feira, janeiro 19, 2011

Raso ou não, é o que temos no momento.

"Você é misteriosa". Essa frase eu já ouvi de várias pessoas em diferentes situações.
E quando mais de uma pessoa fala algo de vc, das duas, uma: Ou é verdade. Ou você faz aquilo de propósito, "um tipo".
Olha.... eu dediquei tempo da minha vida em cima desse assunto. Várias hipóteses apareciam: "pô, será que é porque eu não gosto de falar muito da minha vida e dos meus sentimentos"? "Será que eu me sinto mais sexy e desejável com esse ar misterioso"? Será? Será? Será?
Ontem, descobri da maneira mais delicada, o seguinte: O QUE EU TENHO DE MISTERIOSO, É AQUILO QUE NÃO CONHEÇO EM MIM.

Da série - paisagens da cidade 11 - um pequeno jardim visto da janela

terça-feira, janeiro 18, 2011

Eu pensei que sabia desse olhar...

Eu pensei que soubesse tudo sobre o vazio do olhar. Sobre estar-sem-ser-presente. De não ver o sentido das coisas e dos momentos.
Mas depois que e vi os olhos da Amy, entendi que não sei quase nada disso. Ela sabe.
E nem uma das vozes mais lindas do mundo, nem milhões de fãs, nem bilhões em dinheiro, nem nada, nada, nada, consegue tirar isso dela.

Dos ditados e citações

Continuo na minha luta pessoal: Não criar expectativas, pois a vida se encarrega de tudo.
E as surpresas vem, sendo elas boas ou ruins.

segunda-feira, janeiro 10, 2011

Clint Eastwood

Ai, esse Clint. Não aguento o tanto que ele consegue ser delicado em cada olhar que mostra, em cada plano, em cada detalhe da cena.
"Além da VIda", mesmo não sendo um primor do cinema (na minha opinião) e mesmo com você sabendo tudo o que vai acontecer na história, ainda assim consegue ser um filme que nos faz entrar na trama, com direito a sofrimento e emoção.
Porque o Clint é desse jeito... cheio de humanidade. É preciso saber da humanidade e não ter medo dela pra querer mostrar o óbvio.

Mais Moreré

Este ano, o mar não brigou comigo.
O sol permaneceu firme e forte, renovando cada osso, cada músculo e cada sentimento.
A entrada do primeiro segundo de 2011 foi sem alvoroço, quase calada, mostrando que não precisamos de muito. Nunca.
Uma grande roda se formou, lembrando que tudo gira, que não há figurantes... Afinal, tudo se mistura.
E a cia foi perfeita. Número 11, como o ano que chega.
Pena que o resgate nos encontrou e nos trouxe de volta.





Pra não esquecer...

"As cortinas transparentes não revelam
O que é solitude, o que é solidão
Um desejo violento bate sem querer
Pânico, vertigem, obsessão...

A maior expressão da angústia
pode ser a depressão
Algo que você pressente."

(Lobão)

Por terra, céu e mar... literalmente

Pegue um avião, um táxi, uma Van, um ferry boat, uma Van de novo, uma lancha, ande 10 minutos a pé e pegue um trator. Pronto... Vc chegou ao paraíso. Assim foi o reveillon: cheio de um horizonte que sempre me distrai. E pessoas que só melhoram tudo.